Golden Retriever de temperamento padrão não é um cão extremamente agitado. Outro pronto extremamente importante é que um filhote é sempre um filhote e espera-se que aja como tal…  O Golden Retriever é considerado uma das raças mais inteligentes do mundo. Aprende com muita facilidade e está sempre muito disposto a agradar seu dono. Isso é bom porque uma vez que você consiga expressar para seu Golden o que espera dele o mais provável é que ele vá sempre pelo caminho que lhe agrada. Isso é da natureza dos Goldens!

 

Por outro lado, se ele aprender que ao fazer pirraça ganha sua atenção, você terá dificuldades porque a inteligência dele faz com que aprenda coisas ruins (exemplos: latir te trás até ele, aprender a abrir portão, que quando bate pote você troca a água etc).

Educar um filhote é um grande desafio, seja a raça que for e requer muita paciência e tempo disponível. Admiro muito alguns canis americanos, que ao vender filhotes incluem em suas cláusulas contratuais a necessidade do novo proprietário levar o filhotinho a aulas de socialização e adestramento. No Brasil deveria funcionar da mesma forma.

O adestramento não serve somente para o cachorro aprender comandos como senta, deita ou rola. O adestramento leva a uma relação de respeito mútuo entre o cão e seu dono e torna o relacionamento de ambos muito melhor e o dia-a-dia mais feliz. Podem ter certeza!

Não existem regras específicas a respeito do treinamento do Golden Retriever. O importante é ter consciência de que ao comprar um filhote de Golden você está lidando com uma vida que precisa ser moldada. Um bebê não nasce educado, sabendo falar, andar e sentar-se na mesa. Com certeza um filhote de Golden Retriever não vai nascer sabendo controlar sua ansiedade, fazer as necessidades no local certo e assim por diante.

 

Golden Retriever x Agility

 

Como regra geral “cão bom é cão cansado”. De certa forma acho que isso se aplica ao filhote de Golden Retriever, no sentido de que um filhote estimulado fisicamente e mentalmente torna-se um filhote mais saudável e pronto para conviver em sociedade. Com a dose certa de brincadeiras e carinho tudo fica mais fácil.

O critério de avaliação da inteligência canina é baseado na facilidade que o cão tem em aprender e atender prontamente a comandos dados pelo dono ou pelo adestrador. A classificação abaixo foi montada pelo psicólogo Stanley Coren (professor de psicologia da Universidade de British Columbia, treinador e especialista em comportamento canino) depois de analisar as respostas de mais de 200 juízes de provas de trabalho da AKC (American Kennel Club) a um questionário sobre a inteligência das raças de cães. Para ele os cães demonstram instintivamente múltiplas inteligências em diversas situações como:

– Inteligência espacial: o cão compreende a organização do mundo que o cerca.
Saber onde fica a sua guia, o pote de biscoitos e sua cama são demosntrações típicas da inteligência espacial.

– Inteligência de coordenação motora: o cão é capaz de se mover e coordenar seus movimentos com destreza.
Como nos esportes onde o animal precisa saltar em altura e largura, equilibrar-se sobre uma gangorra ou uma corda, executar um slalom ou participar de competições que exijam agilidade (agility).

– Inteligência intrapessoal: o cão conhece a si mesmo, suas capacidade e limitações.
Um cão que se recusa a pular uma cerca que seja muito alta demonstra conhecimento sobre suas capacidades.

– Inteligência interpessoal: o cão se reconhece como criatura social.
É evidenciada em cães que interagem com outros e assumem função de líder ou outras dentro da matilha, bem como cães que tentam se comunicar com seus donos.

– Inteligência musical: o cão é capaz de reconhecer fatores musicais, como harmonia e tom.
A vocalização de sensações, como uivados, seria uma forma de manisfestação desse tipo de inteligência.

– Inteligência lógica: cães são capazes de resolver problemas e aplicar estratégias racionais quando se deparam com novas situações.
Quando se colocam dois pedaços de carne no chão, independente do tamanho delas, o cão pegará primeiro a que estiver mais perto – ele corre menos risco de perdê-la. Se ambas estiverem à mesma distância, ele pegará a maior.

– Inteligência línguística: cães são capazes de se comunicar, uma vez que são animais sociais.
Na natureza, é possível observar cães selvagens e lobos se organizarem para caçar, administrar posições sociais e divisão de tarefas, o que sugere um sistema de comunicação complexo. Além disso, cães são capazes de entender comandos.

 

Colocação de 1 a 10: melhores cães em termos de inteligência e obediência para o trabalho. Assimilam um comando entre 5 e 10 repetições.

Colocação de 11 a 26: excelentes cães de trabalho. Treinamentos de simples comandos assimilados entre 5 e 15 repetições.

Colocação de 27 a 39: cães de trabalho acima da média. Assimilam um comando entre 15 e 20 repetições.

Colocação de 40 a 54: obediência e trabalho intermediários. Assimilam um comando entre 25 e 40 repetições.

Colocação de 55 a 69: capacidade de obediência e trabalho razoáveis. Assimilam um comando entre 40 e 80 repetições.

Colocação de 70 a 79: são cães muito difíceis de assimilar um comando necessitando de mais de 100 repetições.